Home / . / Em Goiânia, animais abandonados ganham um lar graças à ação de grupos e protetores independentes

Em Goiânia, animais abandonados ganham um lar graças à ação de grupos e protetores independentes

Senhora de 54 anos cuida sozinha de mais de 40 cães e oito gatos. Apesar das dificuldades, ela nunca pensou em parar de ajudar

Dona Gilda, de 54 anos, vive em uma casa humilde, mas onde não falta amor. Ela cria sozinha mais de 40 cachorros e oito gatos, todos resgatados. Muitos chegaram até a senhora por acaso, outros foram encontrados na rua. A maioria estava com sarna, desnutrição, vermes e alguns com fraturas, resultado de acidentes.

Em Goiânia, o resgate e o cuidado dos animais abandonados são realizados por pessoas como dona Gilda. Ela conta que cria animais desde a infância, mas que começou a adotar quando trabalhava em um petshop. Muitos cães e gatos chegavam ao local machucados e acabavam sendo deixados pelos donos.

Atualmente, dona Gilda é diarista e o dinheiro que recebe com o trabalho mal consegue colocar comida na mesa, que dirá alimentar as quase 50 bocas das quais ela é responsável. A senhora explica que quando algum dos animais adoece, ela fica “desesperada” e já deixou de pagar as contas para custear tratamentos veterinários. A dívida que acumulou em clínicas é grande, mas eventualmente os veterinários realizam consultas e procedimentos gratuitos por conhecerem a realidade que ela enfrenta.

A maioria dos cachorros de dona Gilda não tem raça definida. Essa é uma realidade entre os cães abandonados, uma vez que entre comprar um cão de raça e adotar um “vira-lata”, grande parte das pessoas opta por comprar. E nos abrigos e lares temporários, cresce o número de animais sem raça.

Vitória foi resgatada por um grupo de proteção à animais que procurou dona Gilda como lar temporário. A ideia era cuidar da cadela enquanto ela se recuperava e depois encontrar alguém que pudesse adotá-la em definitivo. O tempo passou, e mesmo com insistência da senhora para que a ONG pegasse de volta, o animal acabou ficando. Vitória é uma das mais velhas, e que está a mais tempo com Gilda.

Hoje, a senhora e os animais se mantém por meio de doações. Mas falta muito para suprir todas as necessidades dos animais.Como nem todos são castrados, muitos filhotes nascem no lugar. Para eles é mais fácil encontra dono, as pessoas preferem cães ainda filhotes.

O único problema em adotar um cão novo é não ter noção de como vai crescer. Muitos cachorros são abandonados pois cresceram demais e a casa em que estavam não suportam o tamanho. Por isso, é importante conversar com um veterinário para ter uma estimativa e não correr o risco de não poder ficar com o bichinho.

Além dos cães, a mulher enfrenta dificuldades com um gato doente. O animal está debilitado e precisa operar. Enquanto a cirurgia não é possível, os remédios para aliviar a dor são administrados pela dona em casa, mas não é sempre que ela consegue comprar os medicamentos.

Dona Gilda também precisa quitar sua dívida nas clínicas veterinárias e vacinar os animais. Mesmo com tantas dificuldades, a senhora continua dedicando a vida aos animais e nunca pensou em parar de acolher e cuidar daqueles que cruzam o seu caminho.

Quem se interessar em ajudar, pode entrar em contato com a senhora pelo número 32253978.

Check Also

Concessionária vai usar drone para monitorar trecho da BR-153 em Goiás

Segundo empresa, ideia dar apoio aos motoristas de forma mais rápida, bem como identificar falhas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *